MEDICINA
EM PORTUGAL
Em decorrência da edição da Declaração de Bolonha e também pelo artigo 39, do Tratado de Amizade entre Brasil e Portugal, assinado em 2001, os médicos formados em universidades brasileiras podem trabalhar em Portugal.

1) O primeiro passo é o reconhecimento do diploma em Portugal. Importante salientar, que a Universidade tem autonomia para alterar seu procedimento interno em relação ao processo ou a datas de inscrição a qualquer momento, bem como exigência de trabalho e/ou prova.
2) O segundo passo é inscrever o médico na Ordem dos Médicos de Portugal, onde os brasileiros também têm tratamento especial, conforme a legislação em vigência.

Ademais, trabalhamos com empresas especializadas na inserção de médicos no mercado de trabalho português que facilmente alocam o pretendente em diversas cidades portuguesas.

Informe-se sobre a lista de documentos necessários conosco.
Em decorrência da edição da Declaração de Bolonha e também pelo artigo 39, do Tratado de Amizade entre Brasil e Portugal, assinado em 2001, os médicos formados em universidades brasileiras podem trabalhar em Portugal.
1) O primeiro passo é o reconhecimento do diploma em Portugal. Importante salientar, que a Universidade tem autonomia para alterar seu procedimento interno em relação ao processo ou a datas de inscrição a qualquer momento, bem como exigência de trabalho e/ou prova.
2) O segundo passo é inscrever o médico na Ordem dos Médicos de Portugal, onde os brasileiros também têm tratamento especial, conforme a legislação em vigência.

Ademais, trabalhamos com empresas especializadas na inserção de médicos no mercado de trabalho português que facilmente alocam o pretendente em diversas cidades portuguesas.

Informe-se sobre a lista de documentos necessários conosco.



ENFERMAGEM
EM PORTUGAL
A Ordem dos Enfermeiros em Portugal dispõe de um protocolo específico de modo que qualquer enfermeiro, com curso superior, pode solicitar a sua inscrição e estar habilitado ao exercício da profissão em Portugal.

A documentação necessária para o requerimento poderá ser obtida junto ao COREN. O processo de inscrição é conduzido pelos profissionais da Pinto Machado – Apoio Administrativo, que, normalmente, se concluiu em um tempo estimado de 3 meses, não sendo necessária a revalidação do diploma.

A equipe da Pinto Machado – Apoio Administrativo está apta a auxiliar o requerente na inscrição na Ordem dos Enfermeiros, de forma rápida e célere.

A agilidade e a segurança dos serviços prestados pela Pinto Machado – Apoio Administrativo advêm do fato de contarmos com uma filial em Lisboa, na mesma rua da Secção Regional da Ordem dos Enfermeiros, o que permite um acompanhamento presencial durante todas as fases.
A Ordem dos Enfermeiros em Portugal dispõe de um protocolo específico de modo que qualquer enfermeiro, com curso superior, pode solicitar a sua inscrição e estar habilitado ao exercício da profissão em Portugal. Em Portugal
A documentação necessária para o requerimento poderá ser obtida junto ao COREN. O processo de inscrição é conduzido pelos profissionais da Pinto Machado – Apoio Administrativo, que, normalmente, se concluiu em um tempo estimado de 3 meses, não sendo necessária a revalidação do diploma.

A equipe da Pinto Machado – Apoio Administrativo está apta a auxiliar o requerente na inscrição na Ordem dos Enfermeiros, de forma rápida e célere.

A agilidade e a segurança dos serviços prestados pela Pinto Machado – Apoio Administrativo advêm do fato de contarmos com uma filial em Lisboa, na mesma rua da Secção Regional da Ordem dos Enfermeiros, o que permite um acompanhamento presencial durante todas as fases.



FISIOTERAPEUTAS
EM PORTUGAL
Prestamos toda assessoria para o reconhecimento do diploma de fisioterapeuta, cujo processo não se exige a revalidação do diploma, na hipótese do interessado exercer a profissão.

Contudo, caso o profissional deseje cursar mestrado ou doutorado em uma universidade, ele deverá pleitear a revalidação do diploma previamente. Além disso, se o profissional desejar, eventualmente, atuar em outro país europeu deverá também requerer a revalidação como requisito.

Consulte-nos acerca de maiores detalhes e informações complementares.
Prestamos toda assessoria para o reconhecimento do diploma de fisioterapeuta, cujo processo não se exige a revalidação do diploma, na hipótese do interessado exercer a profissão.
Contudo, caso o profissional deseje cursar mestrado ou doutorado em uma universidade, ele deverá pleitear a revalidação do diploma previamente. Além disso, se o profissional desejar, eventualmente, atuar em outro país europeu deverá também requerer a revalidação como requisito.

Consulte-nos acerca de maiores detalhes e informações complementares.



Para obter mais detalhes sobre este e outros assuntos, prossiga e realize uma consulta especializada conosco.
Logo